04 agosto 2012

CONFIRAM AS CRÍTICAS BRASILEIRAS SOBRE BEL AMI - O SEDUTOR!



Cinepop
Robert Pattinson mostra um bom entendimento do complicado personagem. Não podemos negar que é um dos melhores (senão o melhor) trabalhos desse criticado ator. Esperamos com mais esperança “Cosmópolis” do Cronemberg, veremos. Mas voltando ao filme, em uma cidade onde as mulheres tem forte influência sobre as decisões de seus maridos, a ascensão em um tabloide dá à Georges Duroy (Pattinson) o status que buscava. Em meio à todas as mulheres que o cercam, começa a ficar perdido em relação as decisões que precisa tomar para alimentar seu lado gigolô-vingativo e ganancioso, que possui uma tremenda vulnerabilidade quando sob ataque. Duroy apronta de tudo e pede desculpas (para uma dama em específico). Parece contraditório, não é? Porém, se encaixa bem na trama. Leia Mais…

Jornal do Brasil
Existem filmes ruins e filmes ruins que abusam da inteligência do espectador. Bel Ami – O sedutor não dá uma única deixa para que quem o assiste possa concatenar o que se passa na história e possa, como se supõe, entreter. Na mais atroz coleção de close-ups da história recente do cinema ocidental, trata-se de um engodo cinematográfico de primeira grandeza. Leia Mais…

Sintoniza
Enquanto Pattinson desenvolve o lado mais perverso do personagem, tudo vai relativamente bem. O problema é quando sua figura de bom moço fala mais alto. A explicação para isso vai além do fato de Duroy ser tudo menos afável. Ela indica que a elegância e os bons modos andam escassos. O que se quer, mais do que nunca, é puro caos. Não à toa, Pattinson – coitado – anda de mal a pior em meio a tanto embaraço. Leia Mais…

Omelete
São três os fatores da ascensão social: mérito, herança e sexo. Se o primeiro exige esforço e o segundo é uma questão de sorte, o terceiro é uma vocação. É preciso nascer com os atributos necessários para transformar a si mesmo em uma ferramenta de manipulação, capaz de destruir casamentos, derrubar governos e, atualmente, garantir uma boa pensão ou se tornar uma celebridade.
Bel Ami – O Sedutor, adaptação ao cinema do romance escrito em 1885 por Guy de Maupassan, romantiza esse talento especial: um homem pobre que descobre na sedução das esposas de políticos e magnatas da Paris de 1890 o caminho para a riqueza e o poder. O filme deDeclan Donnellan Nick Ormerod não consegue, contudo, retratar propriamente esse fascínio causado por seu protagonista. Condensando 400 páginas em 102 minutos, a roteirista Rachel Bennette entrega apenas um George Duroy (Robert Pattinson) ignorante e inseguro, que se mostra mais manipulado do que manipulador. Leia Mais...

Via 1 2
Post: Mel

Nenhum comentário:

Postar um comentário